Energia elétrica: O que esperar dos próximos meses?

Energia elétrica: O que esperar dos próximos meses?

O baixo volume de água nos principais reservatórios do Brasil, causado pela falta de chuva, está deixando a energia elétrica mais cara. No entanto, os preços altos são apenas um dos problemas que os brasileiros devem enfrentar com a escassez hídrica. Neste breve artigo, exploramos um pouco mais a situação e todos os seus impactos. Confira:

Como funciona a cobrança de energia elétrica?

Desde 2015, a cobrança da conta de energia no Brasil é realizada pelo sistema de bandeiras tarifárias. O método é muito simples, e muda a forma de cobrar a população de acordo com a dificuldade de produção. Ele utiliza as cores verde, vermelho e amarelo para sinalizar quando a energia custará mais caro, por conta das condições favoráveis ou não de produção.

Às vezes, é necessário acionar as usinas termoelétricas para gerar energia. Como o custo disto é maior do que o convencional, a conta de luz fica mais cara. Para piorar, o consumidor ainda paga uma série de tributos federais, estaduais e municipais como a CIP (Contribuição de Eliminação Pública), entre outros encargos setoriais.

Quais os problemas da escassez hídrica?

A falta de chuvas afeta diretamente a produção de energia elétrica, e um dos maiores problemas disto é o preço alto da conta de luz. Mas, as consequências da crise hídrica não devem parar nisto. Se antes já havia a possibilidade de racionamento, agora o país também está sob o risco eminente de sofrer com apagões.

Como se não bastasse tudo isto, a produção de alimentos também é afetada. Há redução na colheita, prejuízo no desenvolvimento dos frutos, e ainda baixa qualidade das pastagens. Os comerciantes também ficam ameaçados, já que apagões prejudicam sua produtividade.

De modo geral, toda essa seca que já é a maior em 91 anos, traz problemas para todos os setores da sociedade. Portanto, a preocupação em racionar e buscar medidas alternativas deve ser coletiva,  envolvendo empresas e a sociedade como um todo.

Qual melhor alternativa para crise elétrica?

O uso de energia solar é atualmente uma das melhores alternativas para fugir das consequências da crise elétrica. Além de maior segurança no abastecimento, o consumidor evita os aumentos frequentes na conta de luz.

Atualmente, o Brasil possui mais de 500 mil unidades consumidoras de energia solar. Esse número deve crescer nos próximos meses, já que especialistas do setor estimam que haverá um aumento no interesse por sistemas fotovoltaicos, provocado pelo medo de tarifas caras e apagões. A energia solar não só é a melhor saída para crise hídrica, como também é uma excelente oportunidade para profissionais que trabalham neste ramo. No entanto, é preciso investir em bons fornecedores para garantir a qualidade e eficiência dos equipamentos.

A Odex Solar, que faz parte da Oderço, uma das maiores distribuidoras do Brasil, reúne hoje as melhores soluções do mercado para energia solar. Para saber mais a respeito, basta entrar em contato pelo e-mail solar@oderco.com.br ou pelo telefone (44) 2101-1400.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *